Estágios de verão: As oportunidades que não deves perder

Num mercado cada vez mais competitivo, saber quais as expectativas daqueles que entram no mercado pela ‘primeira vez’ torna-se mais difícil e volátil. As inúmeras oportunidades na área de TI, aliadas à escassez de recursos no mercado, fazem com que as empresas invistam em outras estratégias capazes de responder, em tempo útil, às suas necessidades e objetivos gerais. É o caso dos Estágios de Verão, em contexto empresarial.

Os estudantes são os primeiros a reconhecer a importância destes programas. São cada vez mais os jovens que prescindem das férias e fazem este investimento ao nível da formação, ganhando novas perspetivas do mercado e oportunidades de carreira. A empresa, por sua vez, beneficia de elementos centrais no mercado de trabalho, como a criatividade, a capacidade de trabalho e, inclusive, o conhecimento. Outra mais valia é a inserção do aluno na filosofia da empresa, de forma natural e continuada.

Para os que terminam o ensino superior, há questões que surgem naturalmente: Como funciona o ambiente de uma empresa? Qual o tipo de empresa onde me posso adequar melhor? Pequena, média, grande? Em que área me devo especializar?

Os estágios de verão facilitam a integração no mundo do trabalho, permitindo aos estudantes uma melhor perceção daquilo que os espera. Se por um lado são o primeiro momento para aplicar o conhecimento apreendido no seu percurso académico, também é verdade que estes programas são muitas vezes a porta de entrada e de incorporação na própria empresa.

Mas há outro aspeto a realçar, o facto de o mercado estar cada vez mais exigente. Atualmente, ter o conhecimento teórico já não chega, é preciso ‘saber-fazer’. Cada vez mais empresas exigem experiência profissional, ainda que muitas vezes passe apenas por 1 ano de experiência mínima.

É, também, neste contexto que os programas de Estágios de Verão assumem um papel importante. Trata-se de uma oportunidade que permite aos estudantes ganhar currículo, mas, sobretudo, experiência profissional e consolidarem as suas escolhas.

Em jeito de conclusão, a oportunidade de aprendizagem em contexto de trabalho aliada ao conhecimento académico adquirido, é crucial, para que os futuros profissionais se tornem mais competitivos e consigam responder aos novos desafios do mercado de trabalho. 

Sílvia Araújo | IT Recruiter

This article has 1 comments

  1. Vasco Caldas Reply

    My name is Vasco Rodrigues Novais Simão Caldas. I am an Applied Mathematics
    undergraduate student at ISEG, Lisbon School of Economics and Management. I am
    enthusiastic, competitive and passionate about what I do. In the future, I hope to reach
    positions of leadership where I am challenged on a regular basis to solve problems in the area I
    study and love. I practiced rugby, judo and swimming at a competitive level. My hobbies
    include reading, travelling, sports and movies.
    I have had some jobs in the last years, like being a waiter and a newspaper seller, but I
    am currently looking for my first job or internship in the area I study, management, more
    specifically with a strong component in mathematics. A job like that would be something in the
    financial/banking area.
    I am interested in working in this company because it fits the parameters that i look for
    in a company, since it will give me the opportunity to work in the area I study and love. It
    would also be a great opportunity to learn new things.
    The advantages I will bring to the company will be my competitive spirit and passion
    about what I do, as well as my ability and willingness to learn new things and work hard. I also
    believe my knowledge suits this company perfectly and I believe I can create value both for the
    company and myself.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *